Pós-graduação

Próximas turmas
  • A Especialização é uma parceria entre a Faculdade CENSUPEG e o CENAT.

    Pós-graduações são etapas de qualificação profissional de fundamental importância para que a área da saúde possa se reinventar e também aperfeiçoar-se. 

    Atualmente, o CENAT oferece  Pós-graduações lato sensu. A especialização tem uma metodologia ativa e busca o equilíbrio entre a teoria e a prática na saúde mental.

    Assim, os(as) profissionais que conseguirem conciliar o conhecimento teórico com a capacitação da atuação e cuidado irão destacar-se na área da saúde mental.

Boas Práticas: Cuidado a Usuários/as de Álcool e Outras Drogas em Saúde Mental
Turma 2

O uso de drogas, seu abuso e dependência são fenômenos associados a importantes problemas de saúde pública, interferindo em mortalidade de diversas formas e constituindo um desafio tanto da clínica quanto das políticas públicas.

As políticas de cuidado a usuários/as de drogas no Brasil se desenvolveram em seu formato atual a partir da primeira década deste século, pautada em princípios da reforma psiquiátrica.

CARGA HORÁRIA: 374 horas
INÍCIO DAS AULAS: Julho de 2024

Novas Abordagens em Saúde Mental: Comportamento Suicida, 
Autolesão e Luto 
Turma 1

Construir estratégias de prevenção e posvenção, assim como lidar com os processos de luto, exige um conhecimento especializado e técnico, além de estudos territoriais em diversas regiões. 

Ainda persistem grandes lacunas entre as necessidades de saúde mental e o investimento e financiamento continuados em políticas públicas voltadas a essa área. 

No cotidiano, tem crescido a necessidade do fortalecimento de ações em saúde mental, exigindo maior capacitação e aperfeiçoamento dos profissionais e serviços. Neste contexto, observamos a necessidade de ampliar a formação teórica e prática no campo da saúde mental, voltada ao desenvolvimento de novas estratégias de prevenção e posvenção do suicídio.

CARGA HORÁRIA: 364 horas
INÍCIO DAS AULAS: Junho de 2024

Boas Práticas no Cuidado a Pessoas que Ouvem Vozes
Turma 1

Pessoas que vivem a experiência de ouvir vozes sempre existiram na sociedade. Essa vivência pode ser nomeada de diversas formas e compreendida de diversas maneiras, seja pelo viés religioso, cultural, psicológico ou patológico.  

Essas experiências tendem a ser das mais variadas, existindo vozes de diferentes formas, gêneros, idades e tons. Essa vivência pode trazer sofrimento, principalmente quando as vozes são depreciativas - acusatórias, ameaçadoras - causando impacto nas atividades do cotidiano. 

Buscando dar suporte às pessoas que ouvem vozes, surgiu na década de 80 o Movimento Internacional de Ouvidores de Vozes (MIOV) - a partir de uma parceria entre Marius Romme e Patsy Hage - que luta pelo respeito, autonomia, integralidade e melhoria na qualidade de vida das pessoas que vivenciam tais fenômenos. Sendo assim, mostra-se de grande importância a mudança no paradigma que circundam as pessoas que ouvem vozes e a elaboração de propostas terapêuticas em consonância com a luta antimanicomial e as novas abordagens em saúde mental.

CARGA HORÁRIA: 364 horas
INÍCIO DAS AULAS: Agosto de 2024

Boas Práticas em 
Saúde Mental do Trabalhador
Turma 1

O campo da saúde mental tenha se desenvolvido tanto em seu aspecto teórico quando assistencial, nos últimos 30 anos, entretanto, existe uma enorme lacuna na interlocução entre este campo de conhecimento e a saúde do trabalhador.

Historicamente, a aproximação entre a reforma psiquiátrica e trabalho se deu através da reinserção social através da economia solidária, no âmbito dos processos de desinstitucionalização. 

O campo da saúde mental e trabalho vem se expandindo com um amplo interesse legislativo no campo, debates sobre o que é risco e vulnerabilidade em ambiente de trabalho, na criação de normas de proteção ao trabalhador e no debate entre processo de trabalho (com a inclusão de fenômenos contemporâneos como terceirização, uberização e precarização) e sofrimento mental.

CARGA HORÁRIA: 364 horas
INÍCIO DAS AULAS: Agosto de 2024

Boas Práticas em Saúde Mental:
Gestão, Avaliação e Planejamento 
Turma 3

No campo da gestão e planejamento dos serviços, tivemos um desenvolvimento desigual. Muitos serviços copiaram práticas gerencialistas e produtivistas mais próximas do fordismo ou toytismo que dialogam pouco com os princípios da reforma psiquiátrica, sendo que estes últimos sempre miraram práticas democráticas e participativas.

Este curso visa retomar e abordar o clássico composto da gestão-planejamento e avaliação a partir dos paradigmas da clínica ampliada do sanitarista brasileiro Gastão Wagner e dos paradigmas da Atenção Psicossocial oriundos da Reforma Psiquiátrica Brasileira.

CARGA HORÁRIA: 374 horas
INÍCIO DAS AULAS: Agosto de 2024

Psicologia na Atenção Psicossocial: Elementos para o Trabalho na RAPS 
Turma 1

O campo da Saúde Mental é atravessado por diferentes Paradigmas, que compreendem o sofrimento psíquico e modos de assistência também de forma plural. Dentre eles, a Atenção Psicossocial coloca-se como um paradigma que procura integrar aspectos clínicos e de cuidado com a radicalidade do exercício de cidadania dos/as usuários/as, considerando modos de organização dos serviços e relações entre os atores.

Este curso visa fortalecer a atuação profissional frente à complexidade dos casos atendidos; construir modos de gestão da clinica; aprofundar críticas acerca da atuação, com vistas a qualificação da assistência e integrar diferentes teóricas e correntes da psicologia se faz necessário para que a atuação do psicólogo esteja em consonância com o SUS e a Reforma Psiquiátrica Brasileira.

CARGA HORÁRIA: 364 horas
INÍCIO DAS AULAS: Agosto de 2024

Saúde Mental, Direitos Humanos e Populações Vulnerabilizadas
Turma 2

O curso de Pós-Graduação em Saúde Mental, Direitos Humanos e Populações Vulnerabilizadas (Turma 2) surge da necessidade de se desenvolver uma abordagem mais humanizada e inclusiva no trato de questões relacionadas à saúde mental das populações vulnerabilizadas, compreendendo os direitos sociais como um direito constitucional.

Do ponto de vista socioeconômico, as fragilidades das populações vulnerabilizadas se mostram como um desafio complexo e multifacetado que marginaliza e exclui as pessoas para o campo social, do trabalho, da educação, da saúde, entre outros. Tais precariedades necessitam ser melhor trabalhadas, pois ao negligenciar essa complexidade e suas inter relações tem-se por destino uma intensificação do sofrimento psíquico e, consequentemente, comprometimento da saúde mental dessas pessoas.

Dessa forma, o curso de especialização nessa temática abordará diversas questões, trazendo possibilidades de reflexão e ações que ultrapassem um modelo reducionista da Psiquiatria, oferecendo ferramentas para ampliar a atenção em saúde mental, visando a promoção, prevenção e tratamento para determinados grupos populacionais que se encontram em maior situação de vulnerabilidade que outros pela sociedade brasileira.

CARGA HORÁRIA: 374 horas
INÍCIO DAS AULAS: Outubro de 2024

Saúde Mental na 
Atenção Primária à Saúde
Turma 3

A Reforma Psiquiátrica propôs o investimento em novas práticas, não mais hospitalocêntricas, qualificando a atenção como psicossocial e redefinindo o sentido de saúde na fronteira entre o individual e o coletivo, impondo a integração dos modelos de atenção e de gestão das práticas de saúde nos diversos níveis.

A Rede de Atenção à Saúde é definida como arranjos organizativos de ações e serviços de saúde, de diferentes densidades tecnológicas, que, integrados por meio de sistemas de apoio técnico, logístico e de gestão, buscam garantir a integralidade do cuidado. No caso da Saúde Mental ela é denominada de RAPS (Rede de Atenção Psicossocial).

O intuito da criação do conceito de RAPS foi também fortalecer o lugar da Atenção Primária a Saúde ou da Atenção Básica no modelo de atenção territorial e focado na pessoa da Saúde Mental.

Desta forma é fundamental uma formação teórica e prática voltada boas práticas no campo da saúde mental comunitária e territorial que tenha na atenção primaria seu principal campo de atuação. Por isto, construímos um curso que possibilita ao aluno/a identificar, planejar, organizar e executar ações e projetos no âmbito da saúde mental na atenção básica, a partir dos paradigmas da atenção psicossocial centrada na pessoa e com forte articulação e leitura do território de cada cidadão.

CARGA HORÁRIA: 420 horas
INÍCIO DAS AULAS: Outubro de 2024